30 abril 2018

Submissão Bíblica: O que é e o que não é - Parte 1


Eu olhei em seus belos olhos castanhos e repeti as duas palavras que mudariam a minha vida para sempre. “Eu aceito”. A partir daquele momento, eu me tornei oficialmente Sra. Zachary Clark. Não apenas porque eu recebi um novo nome naquele dia, mas porque agora eu tinha um novo título e um novo papel. Agora eu era uma esposa.

Como todos os que crescem na igreja, eu estava familiarizada com expressões bíblicas como “o papel do esposo” ou “o papel da esposa”, então esses conceitos não eram novos para mim. Meus pais construíram um casamento lindo e saudável durante toda a minha vida, então eu nunca tive problemas com esses “títulos” bíblicos.

No entanto, uma vez casada, algo estranho aconteceu.

Sendo uma autointitulada “mulher forte” e líder “tipo A”, de repente me vi recuando diante de passagens que antes não me incomodavam. Efésios. 5:22, por exemplo, (que instrui as esposas a se submeterem a seus maridos), soou mais como uma ameaça de identidade do que uma bênção e um presente.

No meu coração, eu sabia que Deus era um bom Pai, mas eu não conseguia fazer com que minha mente compreendesse a “beleza” da submissão. Isso pareceu mais opressivo do que libertador. Além disso, porque meu esposo assumiria a liderança e não eu? Eu sou o tipo A no casamento. Eu não deveria estar no comando?

No fundo do meu coração, eu sabia que os planos de Deus eram bons, eu só não os compreendia.

Em vez de descrever a palavra de Deus como irrelevante e ultrapassada, precisei estudar mais. Precisei aprender as intenções e os propósitos de Deus por trás da aparentemente pavorosa palavra com “s”.

Como eu estudei a palavra de Deus mais profundamente, comecei a ver o contexto completo. De Gênesis a Provérbios, de Efésios a 1 Pedro - Eu vi que Deus não estava me chamando para ser uma esposa sem inteligência, seguindo seu projeto. Ele não estava me chamando para deixar de lado minha personalidade ou capacidades a fim de cumprir meu papel. De fato, era o oposto.

Eu vi que a palavra de Deus dava o mesmo valor a homens e mulheres, e regularmente realçava a vida de mulheres de força, beleza e humildade (Ester, Maria, Rute, etc). Através da bíblia eu vi claramente Deus amando e valorizando as mulheres. Eu vi que Deus é a favor das mulheres, não contra elas.

Isso foi tremendo.

Enquanto observava Gênesis 1 e 2, eu vi que Deus amou tanto a primeira mulher (Eva) que a colocou sob o cuidado terno, amoroso, forte e protetor do seu esposo (Gênesis. 2:18-23). No perfeito Jardim do Éden (antes do pecado), despoluído do pecado, Adão amou e conduziu sua esposa perfeitamente, e Eva reagiu a essa liderança com deleite e regozijo.

Esse foi o casamento que Deus planejou - belo, funcional, altruísta e transbordante de alegria. Esse é o plano de Deus para homens e mulheres.

Enquanto eu estudava o casamento perfeito de Adão e Eva no jardim, eu percebi que, a fim de entender e apreciar o projeto de Deus para os "papéis do casamento", eu precisava, em primeiro lugar voltar atrás e aprender porque Deus havia criado o casamento em primeiro lugar. Os papéis no matrimônio sempre parecem estranhos e injustos quando estão fora de contexto.

Enquanto eu viajava no meu estudo bíblico sobre este tópico, deparei-me com Efésios 5, que lançou uma luz sobre o propósito de Deus ao criar o casamento em primeiro lugar.

"Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja." (Efésios. 5:31,32)

Em suma, eis o que Efésios 5 me ensinou sobre o casamento:

Deus criou o casamento para ser entre homem e mulher, como uma representação terrena do relacionamento de Cristo coma  sua esposa (a Igreja). O papel do esposo no casamento é refletir a Cristo, e o papel da esposa é refletir a igreja.

Assim como Cristo carinhosamente guiou, serviu e se sacrificou pela Sua Igreja, os maridos são chamados a fazer o mesmo pelas suas esposas. E assim como a Igreja é instruída a confiar, receber e seguir a Cristo, as esposas são chamadas a fazer o mesmo pelos seus maridos.

Deus criou o casamento para ser o palco no qual a sua magnífica história de amor, sacrifício e redenção é retratada para que todos vejam.

Os papéis no casamento não são realmente sobre nós, mas sobre nós exibindo o evangelho de Jesus Cristo. Como atores no palco que contam uma história, nossos papéis no casamento contam uma história, também.

Em nosso novo livro, Love Defined, digo assim: "Entender o casamento por meio da lente do evangelho é essencial para nós como mulheres cristãs. Quando um homem e uma mulher vivem seus papéis exclusivos de gênero dentro do pacto do casamento, eles colocam a glória do evangelho em exibição, como Jesus planejou."

Com essa realidade divina como pano de fundo, eu estava preparada para ler o resto dos Efésios com um coração aberto.

"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos." (Efésios 5:22-24)

Lá estava. A palavra com "s"

Ainda não soava convidativo para mim...mas eu realmente queria aprender o que significava e porque Deus planejou assim. Ao estudar mais, eu aprendi algumas verdades libertadoras. Eu aprendi que eu poderia manter a minha personalidade intacta (e o meu cérebro) enquanto ainda abraçava o projeto de Deus para o casamento. Descobri que ter a compreensão correta do que é a submissão bíblica (como Deus pretendia) era a chave.

Se você está em um lugar agora, como eu estava, onde você não gosta da palavra submissão, é provável que você não tenha todas as peças no lugar. A razão pela qual não havia gostado do conceito foi porque eu não o entendia completamente. Mas quanto mais eu entendo o coração de Deus e os seus planos para as esposas, mas eu vejo o quanto Ele ama as mulheres e criou os papéis no casamento para a nossa própria proteção e bem.

Deus te ama, e é por você.

Fique comigo! Nós vamos mergulhar no que a submissão bíblica realmente é na parte 2 desse post.

Ainda há muito para desvendar. Na parte dois, nós detalharemos exatamente o que é a submissão, assim como desmentiremos algumas mentiras populares que a cercam (ou seja, não há espaço para o abuso no planejamento de Deus para a submissão divina).

Por enquanto, eu gostaria muito de ouvir seus pensamentos sobre esse assunto na seção de comentários abaixo!

  • Pensando em sua vida e experiências pessoais, o que mais influenciou na formação de sua visão atual de submissão?
  • De que maneira a sua visão pessoal da submissão precisa ser realinhada com a vontade de Deus?
_______________

*Este post é uma tradução de um artigo de Kristen Clark, do blog Girl Defined. A tradução é exclusiva do Sentido Literário. O artigo original pode ser encontrado no link: Biblical Submission: What it Is and What it Isn’t (Part 1).

** Traduzido por Hayanne Deise Lins

INSTAGRAM   //   FACEBOOK   //   TWITTER

5 comentários:

  1. Muito legal aborda esse assunto! amei! realmente devemos sempre estudar (ir afundo) de assuntos como esse, onde a muitas pessoas leigas em relação ao mesmo e com isso se prende ao que a sociedade, midia fala e fixa isso na mente, E com isso questiona a palavra do Senhor. Mais que o Senhor possa continuar nos dando sabedoria para entendermos a sua palavra pois a vontade do Senhor é BOA,PERFEITA E AGRADAVEL.

    ResponderEliminar
  2. Nossaaa...
    Sempre leio ou escuto sobre esse assunto de forma que desestimula. Porém esse post está tão edificante que já quero a 2parte! *_*

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D