02 novembro 2016

Com amor, o próprio amor


Texto de: Rebeca Pirez, em Jovem Hadassa

"Eu vi quando você chorou. Estava lá, quando disse que não aguentava mais, que ninguém a entendia, que não acreditavam em seus sonhos. Quando riram dos teus sentimentos e quando apontaram os teus erros. Vi quando você comparou-se a outras meninas, se perguntando: O que há de errado comigo? Porque nada dá certo na minha vida?

Ah! Minha menina, eu também ouvi suas inúmeras orações, banhadas de lágrimas pelas madrugadas, suplicando a cura para as feridas – algumas bem antigas – do seu frágil coração. Princesa, eu sei das noites longas que passou, muitas delas sem dormir; e não me esqueci daquele dia em que alguém te entristeceu e você segurou o choro indo correndo para meus braços, desabando em prantos, contando tudo em oração.

Mas, não poderia ser diferente, tenha isso em mente: o teu nome está gravado em minhas mãos e tuas petições estão sempre diante de mim. Tenho anotado todas as vezes que você renunciou o seu ego pra fazer a minha vontade. Eu me deleito em ti, apesar das “birra” que fez, minha menina, por não te dar o que você queria, eu presenciei e mesmo acreditando o contrário, ali Eu te amei.

Algumas vezes interpretastes meu silêncio como abandono, mas Eu lhe asseguro: nunca te deixei. Enxergue-me também nos detalhes: envio amigos, falo através de poemas e canções. Desejo um dia melhor através do sol e reafirmo minha promessa depois de um dia chuvoso, quando meu arco aparece no céu. Sempre estive, e sempre estarei te observando, te guardando e te moldado, no zelo do meu amor. Esteja certa de que ainda que as coisas fujam do seu controle, as mantenho sob minha total direção.

Sou aquele que sonda a sua mente e seu coração, não há nada em ti que Eu não conheça. Sei a quantidade de fios da sua cabeça e os teus segredos estão todos guardados dentro de mim. Ainda que você saia do caminho, tenho sua vida na palma das minhas mãos. Veja minha filha, como és preciosa! Minha morada é o altíssimo, mas também escolhi habitar em seu coração. Sou forte e poderoso, mas é só você chorar quebrantada chamando meu nome, “seu Papai”, que não resisto. Levanto-me do trono e me inclino só pra te ouvir, pra te acalentar, te reanimar. Saiba que o céu inteiro e toda a criação me adoram, mas dou ordem e todos param quando você canta, pois o seu louvor em meio a dor, é o que eu mais anseio ouvir.

E filha, mesmo que nem todas as suas declarações de amor sejam para mim, Eu me declaro apaixonado: governo o universo, mas meu prazer é cuidar de você, te amei antes tua mãe nascer. És a minha garotinha, menina dos meus olhos, e em ti ninguém toca. Então, mantenha os olhos fixos no “seu Papai”, pois se você não pode, coloque em minhas mãos: Eu posso!

– Do seu pra sempre, Abba."

2 comentários:

  1. Olá, nossa que texto lindo! Confesso que me tocou de uma maneira muito forte, eu tava mesmo precisando ler algo assim. Gostei demais, aqueceu meu coração :)

    Beijos

    http://www.viagensdepapel.com/

    ResponderEliminar
  2. Também li no momento certo. Sem palavras, amei! Beijos e sucesso!

    Carolina Gama

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo