19 setembro 2015

Sobre minha paixão por estrelas


Considero bastante óbvia a minha atração por astros celestes, principalmente lua e estrelas. Desde que comecei a utilizar um celular que suportasse papéis de parede importados da internet, eu já usava fotos de luas e céus estrelados.

Na verdade, meu primeiro celular androide tem uma história linda para contar sobre isso. As causas do desaparecimento desse pequeno eletrônico me são desconhecidas até hoje, mas o certo é que no momento tinha a foto de uma lua bem branca e cheia inundando a tela. Acho que foi por isso que ninguém achou a dona, muito embora na altura a dieta de um país frio havia mudado a fisionomia normal do meu rosto. Isso para não traduzir em outras palavras, obviamente.

O que eu sei é que até hoje, os melhores momentos para a minha imaginação e inspiração são as noites, aquelas que parecem querer conversar com a gente por sinais coloridos, brilhantes e pequeninos, longe, no espaço. Dá para entender porque os pássaros gostam tanto lá de cima, é tudo tão livre e espaçoso...ainda mais à noite. Claro que eles não voam à noite, mas a sensação deve ser idêntica.

A distância das estrelas nunca me intimidou, na verdade só me impulsionou ainda mais a procurar por elas onde consigo encontrá-las. Mesmo estando longe, ainda posso senti-las dentro de mim, o brilho me fazendo entender que apesar de pequenas, elas têm uma importância extraordinária no cosmos. Não é maravilhoso? Poucos dão importância, mas elas não deixam de existir, inspirar, e indicar caminhos para quem está trilhando algum deserto ou estrada por elas. Me fazem pensar nos meus planos e sonhos, que parecem inalcançáveis, inatingíveis, mas que estão lá, existem, só depende de mim correr atrás.

Aí eu fico pensando no vento, o mesmo vento que passa por mim, que levanta as folhas do chão, sacode os cabelos das moças, arrefece os bolos das avós...é o mesmo que leva meus recados às estrelas todas as noites. Ele passa de mansinho aqui na varanda, sussurra suavemente em meus ouvidos, deixa um toque agradável em minha pele e segue seu rumo, em direção ao mais alto dos mais altos, onde nós não alcançamos se não tivermos a alma de uma criança e um coração de poeta. O vento leva todas as palavras, como uma mãe carrega seu primeiro filho nos braços, com muito cuidado, com medo de deixá-lo cair. Eleva os tons que minhas cordas vocais emitiram, abafa as pausas e hesitações...leva só a mensagem, a mensagem pura e verdadeira de sonhos incompletos.

Deve ser o máximo ser uma estrela! Mas ao mesmo tempo, tão solitário, que me sinto na obrigação de corrigir meu pensamento de querer ter nascido ao lado de uma. Sei que por diversas vezes surgem em nossas vidas pessoas que julgamos terem vindo de uma daquelas estrelas brilhantes inalcançáveis, porque são igualmente assim, como elas. Misteriosas, que despertam o melhor de nós, o lado mais FBI da nossa alma. Stalker? Não...isso se chama necessidades de um coração....

Mas já estou divagando, isso normalmente acontece quando toco em assuntos que preenchem minha mente quando me descuido e baixo a guarda. Isso me faz perguntar se as estrelas vivem bem, lá em cima. Okay, eu ainda estou no meu juízo perfeito, só gosto de fazer perguntas que pessoas "comuns" não fariam. Do gênero: "Será que a pedra gostou do lago para onde foi atirada?"; "Será que a árvore que foi cortada sentiu falta da terra molhada e das crianças que brincavam em seus galhos?".

Uau! Acho que hoje escrevi demais, acredito que a visão desse manto negro salpicado de estrelas lá fora me dá ideias que outrora não me vinham à mente. Desculpem-me a interrupção de nossa conversa, tudo bem? É que hoje tenho novidades para contar, e já consigo sentir o vento me chamando para a varanda. Não paro de pensar se esses ventos quando se cruzam, unem palavras de outro alguém. E como dois copos de água se misturam sem distinção, as palavras se unem cada uma à sua correspondente e semelhante, fazendo subir um único pedido às estrelas. Mas isso nem o crepúsculo ouviu falar, é uma história incontável, um segredo estelar...

1 comentário:

  1. Adorei, sinto a mesma coisa em relação a noite. Adoro ir pra roça e ficar olhando as estrelas de noite lá - um lugar quase sem iluminação e com pouca poluição, perfeito! Adorei o texto, parabéns \o/

    koalasinc.blogspot.com.br

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo