13 agosto 2015

# Filmes

Filme: A troca


Filmes inesquecíveis! Você conhece algum assim? Acho que sempre conhecemos algum que nos deixa de boca aberta. Até hoje, minha lista de filmes preferidos era um conjunto de adaptações ao cinema de Jane Austen, e O Pianista...não me canso de ver nenhum deles. Mas descobri que sempre temos um espaço cativo para outros amores cinematográficos em nossos corações sonhadores, não é mesmo?

Antes de mais nada, gostaria de dizer que você está no blog certo, mas quis mudar o layout, já que completamos quatro anos de existência, esse mês. Espero que tenham gostado, achei que ficaria bem mais acessível para ver as postagens e os textos. Mas vamos ao assunto do dia!

Não posto tantas resenhas de filmes por já ser um clichê da internet, e gosto sempre de ter um conteúdo exclusivo por aqui. Sem contar que esta produção data do ano 2008 (alguns sites dizem ser do ano de 2009), acredito que muitos sites já tiveram oportunidades suficientes para comentar a maravilhosa atuação de Angelina Jolie na telona, e os acontecimentos que inspiraram o filme.

SINOPSE:

Los Angeles, março de 1928. Christine Collins (Angelina Jolie), uma mãe solteira, se despede de Walter (Gattlin Griffith), seu filho de 9 anos, e parte rumo ao trabalho. Ao retornar descobre que Walter desapareceu, o que faz com que inicie uma busca exaustiva. Cinco meses depois a polícia traz uma criança, dizendo ser Walter. Atordoada pela emoção da situação, além da presença de policiais e jornalistas que desejam tirar proveito da repercussão do caso, Christine aceita a criança. Porém, no íntimo, ela sabe que ele não é Walter e, com isso, pressiona as autoridades para que continuem as buscas por ele.

MINHA OPINIÃO:

Como vocês já devem ter visto na capa, o filme é baseado em fatos reais, o que torna toda a trama bem mais emocionante e cativante. É uma espécie de "O menino do pijama listrado", em que você chora, chora, e chora mais um pouco, vendo o sofrimento que Christine Collins enfrenta após perder o seu filho misteriosamente.


Não quero contar nada que comprometa o vosso aproveitamento da história, até porque contar 2h e 21 min de filme...é trágico. Até para uma fornecedora de spoilers inocente, como eu. rsrs. Mas posso dizer que essa mãe vai passar por tanta coisa sem ter feito nada para merecê-lo, que você vai desejar entrar na tela e mudar todo o rumo com as próprias mãos.

É por isso que tudo se torna bem mais cativante, por ter acontecido de verdade. Não é como os filmes de terror, ou ficção, ou sensacionalistas...é a realidade nua e crua. Perceba que histórias iguais a essa acontecem com frequência, mesmo que abafadas, escondidas da mídia.

Assista com calma, deixe sua emoção livre e solta, sinta na pele o que Christine Collins sentiu. Viva a dor de uma mãe que perdeu o seu filho, e que ainda teve a infelicidade de contar com a incapacidade da polícia para resolver o seu caso.

No final, me conte o que achou. Sei que não sobrarão lágrimas em seus olhos sem serem vertidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Seguidores