01 dezembro 2014

2ª Semana de Jornalismo UFPE (#Dia1)


O que é melhor do que uma palestra de jornalismo? Uma semana cheiiinha delas! Gente, eu tinha mesmo que falar sobre este lindo evento que está ocorrendo durante esta semana na Universidade Federal de Pernambuco. Eu não poderia deixar de dar a minha opinião sobre esses dias, certo? Acho que alguns de vocês já viram a foto que eu postei no instagram (@hayannelins) no worshop de hoje. Foi m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o!

Acho que só entende mesmo quem ama o jornalismo como parte integrante do seu ser, e não apenas como um trabalho. (Hoje estou poética kkk). Mas o fato é que apesar de amar muito a profissão, não esperava que o evento da UFPE fosse me deixar tão extasiada como deixou. Até porque, diga-se de passagem, o workshop de hoje ("Técnica de Jornalismo Alternativo") não foi o que eu escolhi inicialmente; porém, o que eu havia escolhido atingiu o limite de inscritos rapidamente, é preciso ser esperto quando se trata de "furos jornalísticos", eu que deixei passar um dia para fazer a inscrição.

Jornalista Eduardo Amorim

Mesmo assim, amei cada horinha do workshop. Quem esteve conosco dando algumas dicas sobre esta área do jornalismo foi o querido Eduardo Amorim, do Mídia Capoieira. Foi uma honra enorme ter entre nós um jornalista que já está no mercado de trabalho há 15 anos! Me senti uma formiguinha ali entre estudantes de jornalismo da UFPE, UNICAP...eu que ainda estou terminando o terceiro ano. Um momento ímpar que, graças a Deus, consegui participar. Não há palavras para expressar o que é passar três horas discutindo sobre algo que realmente se ama.


Aprendemos diversas técnicas de escrita, inclusive, também percebemos que o jornalismo alternativo não é tão comum. O mais conhecido é o tradicional, que simplesmente dá as notícias do jeito que elas são, seguindo um padrão comum da sociedade. Para me expressar melhor, darei um exemplo: o jornalismo tradicional falaria sobre a copa do mundo - a sua importância na economia, o turismo...(basicamente, uma ideia otimista demais) - ; Já o jornalismo alternativo busca encontrar aquelas notícias que ninguém investigaria, que ficam 'por baixo dos panos', sem um foco maior. Este é o jornalismo "pregado" por Eduardo Amorim. E quer saber? Eu me identifiquei muito, faz me lembrar um pouco da querida Rachel Sheherazade. Nem todo o jornalista tem a coragem que ela tem para criticar tão abertamente sobre os temas "obscuros" da sociedade brasileira como ela faz.

Bem, foi essa a impressão que eu tive do primeiro dia da 2ª Semana de Jornalismo da UFPE. Nem preciso falar que amanhã estarei lá outra vez, certo? Mas não direi ainda qual o tema do workshop que eu escolhi, nem o jornalista convidado. Deixemos para amanhã. Vocês podem acompanhar o que está acontecendo por lá através das redes sociais do evento, é só procurar mesmo por semana de jornalismo UFPE no instagram, facebook, twitter e snapchat.

1 comentário:

  1. Não fui ao workshop da UFPE, mas já estou encantada! E agora mais do que nunca quero fazer Jornalismo na UFPE. :) Jornalismo <3

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Seguidores