02 agosto 2013

# Mensagens para Reflexão

Confissões de uma Bibliófila

Oi pessoal! Antes de mais nada,quero justificar esta minha ausência prolongada, dado que eu prometera aparecer todos os dias. Não tem problema nenhum, eu só queria deixar um pouco o sorteio para o pessoal ver, mesmo não tendo muita sorte com isso. :PP Quem ainda quiser participar, é a mensagem antes dessa. Bora logo para a postagem de hoje! u.u


  Eu me lembro da primeira vez que peguei um livro. Olhei desconfiada para a capa, tentando descobrir o que se avizinhava para além dela. Mas é claro, eu não tenho super poderes! Quase me esquecia.
  Abri na primeira página e fui passando o dedo pela página amarelada e com cheiro a livro velho. Um cheiro adocicado que chegou para me chamar a atenção para o livro. Como não poderia deixar de acontecer, imaginei as mãos em que aquele livro já estivera.


  Uma criança? Não..o livro só tinha letras. Um adolescente? Talvez, daqueles que vivem e morrem pela literatura. Adultos? Também tive algumas dúvidas. Hoje em dia já quase nenhum adulto pára para ler. Meia hora, vinte minutos...nadinha. Talvez tenham esquecido daquele gosto que sempre os acompanhou na sua juventude; ou este seja apenas um sinal que perderam o gosto pelo bom da vida. Tão preocupados com o profissional, tão desligados da vida...nem percebem que mundos se desenrolam dentro de capas tão perto deles.
  Foi aí que eu tomei uma decisão, talvez uma das mais importantes da minha vida, a mais acertada no meio de tantas outras pouco convincentes da adolescência. Eu comecei a ler o livro!

  Ninguém me dava garantias de que eu gostaria dele. A bibliotecária me ofereceu o mesmo volume, só que mais novo...eu rejeitei. Queria descobrir aquele mundo, naquele livro, e nada me impediria. Então sentei-me na cadeira da biblioteca e levantei os olhos para um mundo totalmente diferente. Eu não conhecia aquelas pessoas, mas em breve elas fariam parte de mim, de tal forma que eu poderia prever todos os seus passos e decisões. Mergulhei naquele mundo estranho e esqueci tudo o que me rodeava. Eu estava a ler, e isso era suficiente para justificar as minhas ações. Estava no limbo entre a consciência e a inconsciência. Não dava sinais de ouvir mais ninguém do lado de cá. Foi aí que eu descobri a paixão de uma vida.

       Hayanne Lins

3 comentários:

  1. Comovente.
    Você sabe como expressar os seus sentimenos e isso que me faz amar o Bunny Crazy!
    BJKS

    ResponderEliminar
  2. Era mt bom se toda vez que a gnt pegasse um livro ver a capa e já saber o que tem dentro dele né?? rsrs *-*
    Amei seu blog ><
    Te segui no Twitter, segue de volta? São dois... o meu e o do blog, comecei agr tenho pouquinhos seguidores.

    Aqui:

    Blog: http://tudodiferentecomsamaralima.blogspot.com.br/
    Twitter da dona: https://twitter.com/SamaraL52
    Twitter do blog: https://twitter.com/MinhasInspiraoe ><

    bjoos, Se for seguir pode colocar do jeito que ta, estão certos.

    ResponderEliminar
  3. OPAAA, estou de volta. (Há alguns dias) hahaha MULHER, que belo post, haha. Vou postar lá no Blog de três em três dias, só assim consigo me organizar e não viver apenas no blog (o que no meu caso é inviável). Tava com saudades daqui do teu cantinho.

    Realmente me identifiquei com as tuas confissões de bibliófila. HAHAHA Meu primeiro contato com o livro foi exatamente assim, no final eu acabei cedendo e adentrando naquele mundo de aventuras e magia. E nunca mais quis sair de lá. Grande beijo!

    Ewerton Lenildo - @Papeldeumlivro
    papeldeumlivro.blogspot.com

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Seguidores