21 agosto 2013

A Verdadeira Felicidade

A minha primeira imagem que eu editei. *--* Estou orgulhosa. kk

     Ela não se arrependia de nada. Do primeiro momento, do primeiro sorriso, da primeira conversa. Ele não era, nem nunca seria um erro. Ela não queria ser como as outras que mal passava uma semana, cansavam-se de um romance e partiam para outro. Ela não precisava disso par nada. Isto porque não era vazia! Tinha tudo o que queria. Uma família afável e estabilizada em todos os aspectos, uma boa carreira profissional e um namorado que a amava. Para quê mais? Não conseguia perceber o que passava na cabeça daquelas suas amigas fúteis.
    Corrigindo, aquelas não eram suas amigas, de maneira alguma! As amigas estão contigo nos momentos que mais precisas, podem te fazer enxergar os seus erros, mas há momentos em que elas te apoiam. Mas não aquelas. Não estavam satisfeitas com a sua roupa, com os seus outros amigos, com o seu gostos desmesurado pelos livros, com a sua paixão por bibliotecas e romances melosos. Mas a sua principal discordância era em relação ao Nate, o seu namorado.
     Se havia algo que mais deixava elas chateadas com Heidi era o seu relacionamento com o estudante de música que um ano mais velho que elas. Não tinham razões para tal, afinal o Nate era um rapaz dedicado não só à escola, mas também aos pais e à irmã mais nova com dois anos de idade. Heidi só via qualidades nele, mas o grupo das populares do Liceu Três Fontes não percebiam o que ela via nele. Na visão delas era um simplório que não tinha nada mais interessante do que tocar um piano velho estacionado no canto da sala de espectáculos; usava roupas fora de moda, era um esquisito, não falava com ninguém e andava sempre de cabeça baixa.
     Já Heidi via um rapaz apaixonado pela arte de tocar piano. Desde criança que se sentia fascinada por aquele instrumento, ela achava que exprimia completamente tudo o que uma pessoa sentia em toques curtos que por vezes poderia não fazer sentido para algumas pessoas, mas para ela era vida, era paixão. Ela admitia que ele era um pouco tímido, mas era o que mais a encantava nele. Era muito extrovertida e falava até pelos cotovelos, então ouvir voz dele, ritmada e melodiosa em vez da sua, alta e numa velocidade galáctica era um sonho. Como elas não poderiam ver isto? Como? As pessoas hoje em dia têm dado mais importância ao que vêm, sem se preocuparem sequer em conhecer de perto. Estas pessoas vivem de aparência, não se aceitam minimamente, não sabem nada acerca da verdadeira felicidade, do verdadeiro amor.
     Mas ela sabia. Ela sabia o quanto era bom ter alguém especial esperando por ela na escola, sabia o quanto era bom partilhar os melhores momentos da sua vida com um rapaz mais próximo. Era mais do que verdade que para elas os bens materiais eram o centro da sua vida. Não viviam.

     Nate fora o primeiro, e seria o último, o único. Viviam um para o outro. E que mais interessava? Porque se importar com os comentários das amigas? Ela não se importaria, nem agora nem nunca.
     A verdade é que até tinha pena delas, por nunca poderem viver um amor como o que ela viveria até ao fim da sua vida.

Image and video hosting by TinyPic

11 comentários:

  1. - realmente , texto lindo *, Deu pra ver algumas coisas e.e - aah '

    - parabens , pela imagen , esta linda *-*
    Otimo texto|| garotaperigosa.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Texto ótimo e bem reflexivo.
    Muitas pessoas passarão em nossas vidas, nem sempre serão as últimas

    M&N | Desbrava(dores) de Livros

    ResponderEliminar
  3. A felicidade verdadeira se encontra onde menos esperamos Bj!
    PS: eu já acompanho teu blog e teu contúdo ha um tempinho nossa tudo muito arrumado e descente aqui, ainda não tinha me atrevido a comentar, mas aqui estou, parabéns pelo blog, e sucesso!
    PS: há pouco tempo entrei na blogosfera, se puder seguir meu blog, se gostar é claro serei extremamente grato! Mais uma vez parabéns e muito sucesso.
    Quase Meia Noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh,muito obrigado. ;3
      Vou visitar agora mesmo.

      Eliminar
  4. Que perfeito esse texto, é muito inspirador <33

    Cliquesnocapricho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. cara.. " A verdade é que até tinha pena delas, por nunca poderem viver um amor como o que ela viveria até ao fim da sua vida"
    awn que lindo!!! &-&
    Beijinhos,
    Paula
    http://psicosedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Adorei o texto, como minha colega disse acima "A verdade é que até tinha pena delas [...]" Lindo demais! :O
    Beijos e uma ótima semana!
    http://blogparisvie.blogspot.com.br/
    Participe do sorteio: http://blogparisvie.blogspot.com.br/2013/07/concurso-em-parceria-com-tpm-de-ofertas.html

    ResponderEliminar

1- Leia antes de comentar;
2- Comentários spam ou com palavrões serão excluídos imediatamente;
3- Deixe o link do seu blog no final do comentário para que eu visite;
4- Anônimos podem comentar, mas deixe o nome no final do texto, por favor. :D

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo